Emil Veloso


/** O poder do amor */

situacao ( boolean saudades, boolean Sentir_falta)
{
/***/If (saudades || Sentir_falta)
/***/{
/******/char Diz_Tudo[80];
/******/int pin;

/******/printf(“Faz séculos que não te vejo.\n
/*******/Daria tudo para estar contigo agora.\n \n
/*******/O que significo para ti?\n”);
/*******/scanf(“%s”, Diz_Tudo);

/******/printf(“\n %s :- Obrigado”, Diz_Tudo);
//———————————————————————-*/
/******/printf(“Coloque o código secreto com dois dígitos e aceda ao meu coração:”);
/******/scanf(“%d”, pin);

/******/if( ( (pin – 10) + 4,047) * 5 == 5,235)
/******/{
/*********/printf(“Gosto muito de ti “);
/******/}
/***/}
/***/else
/***/{
/******/printf(“Desculpa, operação Impossível!”);
/***/}
}
//————————————————–
Main
{
/***/boolean s1 = true;
/***/boolean s2 = true;

/***/situacao(s1,s2);
/***/printf(“Desculpa qualquer coisa”);
}

Mr. Mucluclu
Sejam bem-vindos.


Anúncios
Publicado em Testando categoria | 2 Comentários

Poesia

Ilha de nome Amor

É manhã, emerge o calor.
Olho para alem do visível,
Descubro o paraíso irresistível,
A saudade o desejo o amor.

Surges, oh pensamento crível,
De terrível dor, suave flor
De desejo perpétuo, intenso odor
A magia do alvor pode ser credível.

A génese do meu amor ardente
É a luz do dia e noite estrelada
Apaixonei-me, tornei-me gente.

Íris inócuo és, indubitável amada
Ode vagueadora na minha mente
Soneto da vida sentada de lado a estrada.

O amor não tem nacionalidade
Por isso digo, sou Amante.
Mr. Muclo
___________________________________________________________________________________________________________

O meu desejo

Eu gostaria muito dizer-te umas coisas,
Dizer-te mais coisas,
Doar-te a minha visão
Trazer-te ao meu coração.

Eu queria iluminar-te como o sol,
Guiar-te como a lua,
Ser o teu lençol,
Ser o teu ar da rua.

Queria poder manter-te aberto o meu peito
Ilustrar-te todo o meu feito
Queria ser o teu céu perfeito
Eu queria poder e ter conhecer o jeito.

Eu queria saber o que se faz
Sinto-me indolente
Infeliz, deixei de ser sagaz
Incapaz de resistir tudo o que o coração sente.

É do hábito dizer muito o silêncio
Mas, sinto-o em silêncio desta vez.

Mr. Muclo

Publicado em Testando categoria | 4 Comentários